Retinopatia Diabética

Cirurgia de Catarata em Campinas ou Facoemulsificação
Cirurgia de Catarata em Campinas
10 de abril de 2017
Cirurgia refrativa em campinas- Dr Aron Guimaraes
Cirurgia refrativa
19 de julho de 2017
Saiba tudo a respeito da Retinopatia Diabética

Retinopatia Diabética em Campinas - Dr Aron Guimarãe

 

Retinopatia Diabética

O que é a Retinopatia Diabética?

É uma alteração que ocorre na retina de alguns pacientes com diabetes mellitus. É uma das principais causas de cegueira nos anos produtivos (20-65 anos).

A hiperglicemia altera diversos mecanismos bioquímicos e fisiológicos, levando a uma degeneração e perda de pericitos dos vasos sanguíneos da retina, o que causa extravazamento do sangue.

O que o paciente com Retinopatia pode apresentar de sinais e sintomas:

Em estágios mais iniciais a pessoa não percebe nenhuma alteração na visão e somente no exame médico, com a realização de mapeamento de retina podem ser descobertas as alterações características:

Hemorragias retinianas: Se localizam na camada de fibras nervosas e na plexiforme externa.

Microaneurismas: Se localizam da camada nuclear interna.

Exsudatos duros: Se localizam na camada de fibras nervosas.

Neovasos: Ocorrem em estágios mais avançados e correspondem a proliferação anormal de vasos sanguíneos na retina.

A perda visual (embaçamento da visão) é mais frequentemente causada por um inchaço da retina localizado na região da mácula: o edema macular. Outras causas de baixa visual são a isquemia macular e sequelas de neovascularização.

Como é feito o tratamento da Retinopatia diabética:

Inicialmente é preciso classificar qual estágio da doença a pessoa apresenta:

  • 1. Estágio não proliferativo leve
  • 2. Estágio não proliferativo moderado
  • 3. Estágio não proliferativo grave
  • 4. Estágio não proliferativo muito grave
  • 5. Estágio proliferativo de baixo risco
  • 6. Estágio proliferativo de alto risco

Além do exame oftalmológico pode ser muito importante a realização de exames complementares:

Angiofluoresceínografia

Tomografia de coerência óptica

Dependendo do estágio da doença e da visão apresentada o tratamento pode se basear em :

  • 1. Somente controle dos níveis glicêmicos
  • 2. Fotocoagulação à laser na retina
  • 3. Injeção de medicação intra-ocular
  • 4. Cirurgia vítreo-retiniana

Quando devem ser feitas as consultas oftalmológicas no paciente com Diabetes?

No diabetes do tipo 1 admite-se um exame da retina após 5 anos do diagnóstico e após o primeiro exame anualmente.

No diabetes tipo 2 logo após o diagnóstico deve-se fazer um exame e após anualmente.

Em pacientes que já apresentam o diagnóstico de retinopatia diabética os retornos devem ser mais frequentes dependendo do estágio da doença:

  • 1. Estágio não proliferativo leve: de 9 em 9 meses
  • 2. Estágio não proliferativo moderado: de 6 em 6 meses
  • 3. Estágio não proliferativo grave: de 4 em 4 meses
  • 4. Estágio não proliferativo muito grave: de 3 em 3 meses
  • 5. Estágio proliferativo de baixo risco: de 2 em 2 meses
  • 6. Estágio proliferativo de alto risco: de 2 em 2 meses

Sou diabético. Qual a chance de eu ter retinopatia diabética ao longo da minha vida?

Um estudo norte americano que se iniciou em 1979 (Wisconsin Epidemiologic study of Diabetic Retinopathy) mostrou que:

Após 20 anos com diabetes tipo 1, 99% dos pacientes vão apresentar algum grau de retinopatia, contra 60% dos pacientes com diabetes do tipo 2.

Neste estudo 3,6% dos pacientes com DM tipo 1 evoluiram com cegueira, contra 1,6% dos com tipo 2.

Logicamente o controle glicêmico e tratamento adequado vão reduzir a chance de um paciente com diabetes desenvolver a retinopatia.

Dr Aron Guimarães

1 Comentário

  1. […] Retinopatia diabética : É uma alteração que ocorre na retina de alguns pacientes com diabetes mellitus. É uma das principais causas de cegueira nos anos produtivos (20-65 anos). Para mais informações acesse: Dr. Aron Guimarães – Oftalmologista em Campinas http://www.aronguimaraes.com.br […]